Demolalia Eventual, o Surto

E depois da democracia representativa, mas antes da plena democracia participativa e bem diferente de uma democracia direta, o Brasil inventou a DEMOLALIA EVENTUAL, um fenômeno sociológico em que pessoas (que chamam a si mesmos de “o povo”, mas que são a classe média de sempre, não a emergente ou estatística) movidas por eventos criados aleatoriamente via Facebook, vão às ruas falar e falar e falar. Da mesma forma que se auto autodeclaram “povo”, os demolálicos eventuais também se autodeclaram recém-acordados e investidos de algo que chamam de consciência política, quando, na verdade, passaram a sofrer de um distúrbio psicossocial coletivo, que os leva a repetir (donde “lálicos”) qualquer coisa que lhes seja lançado em posts, videos e fotos publicados no mesmo Facebook.

Surgiu nas redes sociais, foi para as ruas, voltou das ruas, celebrou nas redes, alimentou-se nas redes e voltou para as ruas a cada novo evento, e assim tem sido a rotina do demolálico eventual desde que seu surto tomou o lugar do MPL – Movimento Passe Livre, a primeira e última voz com uma organização, uma agenda e um propósito a tomar as ruas, em fim de maio de 2013. Estamos em começo de julho, e o surto continua, com os mesmos sintomas.

Nessas idas e vindas, o demolálico eventual procura avidamente um discurso com que possa estabelecer um diálogo com um interlocutor, mas o discurso não se articula, donde o diálogo não ter início, também porque o interlocutor segue indefinido – isto porque ninguém o representa, em seus eventos não há líderes, não há agendas, não há nem institucionalidades, tampouco desejo de compor com ou instituir novas institucionalidades: falam e falam, de si para si, movidos por… eventos.

Espera-se que este começo equivocado e perigoso – porque apropriável por qualquer discurso mais articulado – resulte num aprendizado político que ofereça uma agenda alternativa à definida pela sociedade política. Nada indica que isso vá acontecer ou esteja em gestação. Todos estão contentes em repetir o último post com alguma mensagem panfletária. Contra o que quer que seja.

Dizem que o (demolálico eventual é um) Gigante (que) acordou. Se é assim, ele ainda está cambaleando de sono, sem saber onde está, como foi parar ali ou para onde vai.

Categorias:Ensaios

1 reply »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s